top of page
  • Foto do escritorEquipe Amplus

Conheça as 10 profissões mais perigosas no Brasil



Todos os ambientes de trabalho, sejam eles externos ou internos, possuem seus riscos de acidentes e de doenças ocupacionais. A diferença é que alguns deles apresentam mais perigos do que outros.


É justamente por isso que as medidas de segurança são tão importantes. Inclusive, elas devem se adaptar e se intensificar conforme o risco em cada profissão.


Mas, afinal, você sabe quais são as profissões mais perigosas que existem? Ou ainda: será que a sua profissão está nessa lista?

Ter conhecimento das profissões mais perigosas é muito importante para compreender os riscos de acidentes e, principalmente, para saber como preveni-los.

Então, veja abaixo quais são essas profissões.


Quais as 10 profissões mais perigosas do Brasil?


Trabalhadores da construção civil

A construção civil é uma das profissões mais perigosas do Brasil, pois existem várias formas de ocorrerem acidentes nesse setor. Segundo o Observatório Digital da Saúde, entre 2012 e 2018, aproximadamente 32 mil acidentes de trabalho com óbito foram registrados.


Os principais motivos de acidentes são o não uso de EPI, a queda em altura, a colisão com objetos, lesões por esforço repetitivo (LER) e muitos outros.


Mineradores

Entre os maiores riscos da profissão, estão o soterramento, a inalação de gases, as explosões e muito mais. Todos esses acidentes podem resultar em fatalidades e, por isso, essa é uma das profissões mais perigosas.

Inclusive, até hoje, um dos acidentes de trabalho mais marcantes da história foi uma explosão em uma mina em Virgínia, nos Estados Unidos. O acidente aconteceu em 1969 e levou 78 trabalhadores ao óbito. Outro acidente marcante ocorreu no Chile, em 2010, quando 33 mineiros ficaram presos em uma mina por dois meses.

Eletricistas

Os trabalhos com eletricidade estão entre os mais perigosos por dois motivos: primeiro, pelo risco de descarga elétrica. Segundo, porque na maioria das vezes o trabalho é em alturas, o que aumenta o risco de queda.

Além da descarga elétrica, os eletricistas também são expostos aos riscos de incêndio, corte, colisão, queimadura e, em alguns casos, até ao ataque de insetos. Por isso, o uso de EPI é indispensável, sendo os capacetes, luvas e botas isolantes os mais importantes nessa área.

Metalúrgicos

A indústria metalúrgica é repleta de perigos devido ao risco de acidente com máquinas e metais. Nesse setor, os acidentes ocorrem devido à exposição ao calor, ao uso inadequado de ferramentas, ao contato com substâncias químicas e, claro, à negligência no uso de EPI’s.

Inclusive, no país, quem trabalha como metalúrgico tem direito a aposentadoria especial. Isso acontece porque há um grande risco de ferimentos graves e perda de membros, que podem resultar na incapacidade do trabalhador de seguir com suas atividades.

Prestadores de serviços de segurança

Seja na segurança pública (como policiais, bombeiros e militares) ou na privada (como seguranças patrimoniais e vigilantes), são inúmeros os riscos aos quais os profissionais ficam expostos. Afinal, eles lidam com situações de combate físico que o expõem a ferimentos com armas brancas ou de fogo.

É por isso que os EPI’s desses profissionais são diferenciados e incluem os coletes a prova de balas, botinas de segurança e capacetes com viseira. Além disso, eles possuem o direito ao adicional de periculosidade, devido aos perigos que suas atividades oferecem.

Profissionais da área da saúde

Os profissionais da área da saúde, como médicos, enfermeiros, radiologistas, odontologistas e mais, também estão constantemente expostos a riscos. A pandemia de Covid-19, que assolou o mundo todo, é a maior prova disso. O risco de contaminação é enorme, mas não é o único que preocupa esses profissionais.


Também há o perigo de contato com agentes biológicos, químicos e radioativos, que reforçam a importância do uso de EPI. Como se não bastasse, as longas jornadas de trabalho também aumentam as chances de acidentes de trabalho.

Agricultores e trabalhadores rurais

Os trabalhadores do setor agrícola, especialmente aqueles que trabalham diretamente no campo, estão em contato com diversos riscos. Os principais são: acidente com maquinários, contato com produtos químicos, queimaduras solares e ferimentos com ferramentas ou com os próprios produtos agrícolas.

Levando em consideração que esse é um dos setores mais importantes para a economia nacional, os cuidados com a proteção dos trabalhadores da agricultura devem ser intensificados.


Bombeiros e socorristas

Esses profissionais, ao atuarem para salvar as nossas vidas, acabam colocando suas próprias vidas em risco. Os bombeiros, por exemplo, correm o risco de sofrer queimaduras, colisões, cortes e de inalar resíduos prejudiciais para a saúde.


Já os socorristas precisam agir de forma rápida para atender a emergência e, com isso, se colocam em situações extremamente perigosas.


Trabalhadores da coleta de resíduos

Já parou para pensar em todos os perigos do dia a dia de um coletor de resíduos? Ao manusear sacos de lixo, por exemplo, eles correm o risco de sofrer cortes e lesões pelo descarte incorreto de vidros e alumínios. Além disso, eles sofrem um alto risco de contato com resíduos contaminados, como o lixo hospitalar e de indústrias químicas.

Como se não bastasse, a profissão deles é no trânsito, que pode dar brecha para quedas do caminhão e até atropelamento.

Motoristas de caminhão e entregadores

Os acidentes de trânsito ainda são uma realidade devastadora na vida de muitas pessoas, especialmente dos que precisam trabalhar com isso. Por mais que você seja um motorista de caminhão extremamente prudente, existem fatores nas ruas e estradas que podem causar um acidente de trânsito. Além disso, no transporte de cargas, ainda há o risco de roubos e colisões.

Já no caso dos entregadores, que normalmente realizam o transporte das mercadorias com motos, é grande o risco de um acidente grave. Afinal, uma moto tem menos proteção e segurança do que um carro e, por isso, o cuidado precisa ser maior.

Como você pode ver, as profissões mais perigosas estão espalhadas entre vários setores, desde a extração de matéria prima até a distribuição de produtos.

É indispensável que as empresas destes setores adotem medidas de segurança adequadas e ofereçam treinamento e equipamentos de proteção para os trabalhadores, garantindo a proteção de todos.

Agora conta pra gente: a sua profissão está nessa lista? Conhece alguém que atue nessas áreas? Então compartilhe este artigo!


Para mais informações, acompanhe o nosso blog e as redes sociais: Instagram, Facebook e LinkedIn.


Fontes: Blog D+ Saúde, Segurança Tem Futuro e Quero Bolsa

22 visualizações0 comentário
bottom of page