• Equipe Amplus

LER e DORT: O que são e qual a relação dessas doenças com o trabalho



As LER e DORT são doenças que afetam os músculos, tendões, nervos e articulações. Na grande maioria das vezes, elas são causadas por fatores presentes no ambiente ocupacional e afetam trabalhadores no mundo todo, resultando até no afastamento desses profissionais de suas atividades laborais.

Visando alertar os trabalhadores e empregadores sobre os riscos dessas doenças, a Organização Mundial da Saúde (OMS) instituiu o Dia Internacional de Prevenção às LER/DORT, celebrado no dia 28 de fevereiro.

Para fortalecer tal alerta, é muito importante que se conheçam as causas, sintomas e medidas preventivas contra essas lesões e distúrbios.

O que são LER e DORT?

A sigla LER se refere à Lesão por Esforço Repetitivo. Ela contempla um conjunto de lesões desenvolvidas ou agravadas pela realização de atividades repetitivas durante o trabalho.

Já a sigla DORT corresponde aos Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho e é basicamente uma atualização do conceito das LER. Essa atualização se fez necessária na medida em que os estudos se aprofundaram e se constatou que os problemas que afetam os trabalhadores não são apenas lesões, mas sim condições osteomusculares de maior ou menor intensidade.

Além disso, esses problemas nas estruturas dos tendões, músculos e ligamentos não são causados apenas pelo esforço repetitivo. Eles também se desenvolvem pela sobrecarga física, pelas más condições de trabalho, pela má postura e diversos outros fatores.

As principais possíveis causas são:

  • Movimentos repetitivos;

  • Ritmo de trabalho intenso;

  • Excesso de força para execução de tarefas;

  • Cadeiras, mesas, maquinários e equipamentos sem ergonomia;

  • Contração muscular por longos períodos para manutenção da postura;

  • Falta de intervalos para descanso;

  • Cobrança contínua por produtividade;

  • Exposição ao frio e a vibrações excessivas.

Todos esses fatores causam dores e complicações físicas nas regiões dos ombros, cotovelos, pescoço, cervical, lombar, punhos, mãos e joelhos.

Principais sintomas das LER e DORT

Os sintomas de síndromes como LER e DORT variam de pessoa para pessoa, tanto pelas condições físicas quanto pelo tipo de atividade que ela executa. Todavia, existem alguns sintomas que são mais recorrentes, como: dor, cansaço, formigamento, fisgadas, alteração de sensibilidade e fraqueza muscular.

Primeiramente, esses sintomas parecem normais e surgem lentamente. No entanto, com o passar do tempo, eles podem se intensificar e até tornarem-se crônicos.

Também é comum que a pessoa sinta enrijecimento muscular, cãibras, falta de firmeza nas mãos e, em casos mais sérios, tenha seus movimentos cada vez mais limitados.

Caso um ou mais sinais se tornem frequentes, deve-se procurar um médico para confirmar ou descartar a suspeita de LER e DORT. Em caso de diagnóstico, o tratamento iniciado o quanto antes é fundamental, pois evita que os distúrbios evoluam e dificultem a realização das tarefas diárias do trabalhador.

A tendinite, a lombalgia e a mialgia são as LER e DORT mais comuns no país. Elas normalmente afetam colaboradores do setor industrial, alimentício, do transporte ou de serviços de limpeza.

Como prevenir essas doenças no trabalho?

A melhor maneira de prevenir as LER e DORT é adotando padrões de ergonomia no ambiente de trabalho. Todas as regras para um trabalho ergonômico estão dispostas na Norma Regulamentadora 17 do Ministério do Trabalho, que estabelece as diretrizes para a adaptação das condições de trabalho para proporcionar maior conforto e segurança aos trabalhadores.

Para simplificar quais são essas diretrizes, listamos abaixo algumas dicas muito importantes:

  1. Estude as condições de trabalho dos trabalhadores, como o ritmo de execução das atividades e a postura deles;

  2. Implemente um esquema de pausas para recuperação do corpo e para troca de posição, evitando a persistência em movimentos repetitivos;

  3. Reduza os riscos ergonômicos por meio do monitoramento da temperatura, da iluminação e dos mobiliários do trabalho;

  4. Disponibilize apenas ferramentas e equipamentos que permitam posturas confortáveis e ergonômicas ao trabalhador;

  5. Aposte na realização da ginástica laboral no local de trabalho, que promove a prática regular dos movimentos corporais.

Além disso, ao identificar qualquer sinal de dor ou desconforto em algum membro da sua equipe, faça o encaminhamento para um médico especialista. Isso é fundamental para evitar que o problema afete diretamente a qualidade de vida do colaborador no ambiente profissional e pessoal.

Lembre-se: trabalho saudável é trabalho sem dor!

Compartilhe essas informações para o combate e prevenção das LER e DORT.


36 visualizações0 comentário