• Equipe Amplus

Vacina contra a Covid-19: veja os mitos e verdades sobre a imunização

Com o início da vacinação contra a Covid-19 em grande parte do país, a população já começa a ficar com dúvidas. Tendo em vista a velocidade em que as vacinas foram produzidas e a diversidade de informações, muitas notícias falsas são espalhadas pela internet.


Consequentemente, diversos mitos surgem em meio às verdades.


Pensando em sanar as suas principais dúvidas sobre a vacina contra a Covid-19 no país, coletamos informações relevantes para você entender o que é fato e o que é mito. Acompanhe.


1. Estou com Covid-19, então não posso ser vacinado.

Verdade, mas não por causa dos sintomas, e sim porque o ideal é que você se isole e não corra o risco de infectar outras pessoas. Se você tem sintomas leves, é importante ficar em casa. Agora, em caso de sintomas graves, procure ajuda médica.


Mas, assim que a infecção passar, você pode tomar a vacina. Isso porque, segundo o Ministério da Saúde, é improvável que a vacinação de indivíduos já infectados (em período de incubação ou curados) tenha qualquer efeito prejudicial sobre a doença.


Por isso, se você estiver com suspeita da infecção, adie a vacinação até a recuperação clínica total.


2. Depois de tomar a primeira dose da vacina, já posso deixar de usar máscara.

Mito. A imunização contra o coronavírus não é imediata e o nosso corpo demora de dez a vinte dias para criar os anticorpos. Ainda que a primeira dose lhe dê um bom nível de proteção, ela só é garantida a partir da segunda dose.


Mas, mesmo depois de receber a imunização completa, toda a população deve continuar usando máscara, higienizando as mãos e praticando o distanciamento social. Só assim vidas continuarão sendo protegidas.


3. Quem tomou a primeira dose da vacina ainda pode pegar Covid-19.

Verdade. A primeira dose não garante proteção completa e imediata contra o vírus. A primeira dose da vacina apenas expõe seu corpo aos antígenos, desencadeando a produção dos anticorpos. No entanto, é a segunda dose que consolida a memória imunológica e estimula ainda mais a proteção de anticorpos específicos.


Por isso, é fundamental que a pessoa siga as medidas de restrição após tomar a primeira dose.


4. A vida voltará totalmente ao normal após a vacina.

Mito. Mesmo que toda a população do mundo seja vacinada, a pandemia ainda está longe de chegar ao fim. Isso porque as vacinas desenvolvidas contra o Sars-CoV-2 apresentam eficácias variáveis, que vão de 60% a 95%. Tendo isso em vista, ainda é preciso manter as medidas de distanciamento social, o uso de máscaras e as práticas de higienização das mãos e objetos.


5. As vacinas foram muito apressadas, então não devem ser seguras.

Mito. De fato, as vacinas produzidas contra o vírus foram criadas em tempo recorde. Mas não é porque elas foram apressadas que elas não são seguras. Na verdade, essa produção tão rápida só foi possível porque tais vacinas já são estudadas há mais de uma década, justamente com o objetivo de enfrentar uma situação de pandemia.


6. A vacina é mais perigosa do que o contágio da Covid-19.

Mito. Tendo em vista a quantidade de mortes no Brasil e no mundo causadas pelo contágio do novo coronavírus, a vacina é muito mais segura e apresenta apenas pequenos efeitos colaterais, que são temporários.


Vale lembrar que a vacina contra a Covid-19 não contém o vírus em si. Por isso, os efeitos colaterais não aparecem na mesma intensidade que a doença. Além disso, os testes de vacinas da Pfizer e da Moderna não apresentaram nenhum efeito colateral preocupante.


Precisamos lembrar que tudo ainda é muito novo, e que novas informações podem surgir a qualquer momento. Por isso, é fundamental procurar respostas em fontes confiáveis, como sites do Governo e portais de notícias já consolidados.


Qualquer dúvida, entre em contato com a equipe Amplus Saúde.


Fontes: BBC, Saúde IG, CNN Brasil


1 visualização0 comentário